Pilot Season: S.W.A.T. (CBS)

O texto que se segue NÃO CONTÉM SPOILERS

Baseada no filme homónimo de 2003, por sua vez inspirado na série de 1975, a nova tentativa “S.W.A.T.” chega à CBS como proposta para meter o cérebro de molho. Encabeçada por Shemar Moore, nesta que é a sua primeira incursão televisiva depois de 11 anos como regular em “Criminal Minds”.

Cedo se torna perceptível que em nada se pretende demarcar das mil e uma outras séries do género em que se insere. Não havendo a mínima intenção em trazer algo de revigorante, “S.W.A.T.” resvala inevitavelmente numa abundância de clichés desgastados: a relação amorosa mantida em segredo entre subalterno e superior; o cargo de chefia que foge às mãos de quem realmente o merecia; o novato desbocado que agita a dinâmica da equipa; etc.

A escolha do elenco parece querer ser resposta ciente da actualidade. Além do protagonista negro, integram a equipa uma mulher e ainda um americano de descendência chinesa quase sem linhas de diálogo para proferir. Não fosse a paranóia actual e talvez  o dito casting pudesse funcionar de forma orgânica. Como tal, fica sempre a ideia de escolhas estratégicas que pretendem sossegar um maior número de comunidades. Em sua defesa, a série fá-lo de forma consciente, elevando a pele negra à chefia da equipa como via a anular a visão de um preconceito racial.

A dinâmica entre as personagens nada traz de minimamente diferente, limitando-se a ser padronizada pelo género. Para aquilo que se propõe a ser, mostra-se frenética quanto baste. Inúmeras perseguições com troca de tiros à mistura. A longo prazo? Pouco se apresentou ainda que sustente minimamente um arco narrativo que venha a preencher a temporada.

Até mesmo no trabalho de câmara, “S.W.A.T.” não deixa de se mostrar veículo à preguiça. A câmara está quase sempre presente para enquadrar cada linha de diálogo proferida, demonstrando um certo receio em deixar alguma fala fora de campo. Num simples diálogo entre duas personagens, chega a ser ridículo o quanto a câmara salta entre ambas para sugar cada fala e expressão facial que a acompanha.

Num panorama televisivo com ofertas infindáveis, “S.W.A.T.” nada tem a oferecer para alguém que deseje um pouco mais que mero entretenimento de motivos rebatidos.

“S.W.A.T.” chega a território nacional por via AXN a 27 de Novembro.

3 opiniões sobre “Pilot Season: S.W.A.T. (CBS)”

  1. Confesso que me fez alguma confusão andarem aos tiros assim de forma tão directa nas pessoas. Sinto que nos outros procedurals é menos agressivo. Vou ver mais um episódio quando der no AXN mas acho que fica por aqui.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.