Pilot Season: Babylon Berlin (Sky1/ARD)

O texto que se segue NÃO CONTÉM SPOILERS

Wilkommen in Berlin. Não à Berlim dos nossos tempos, no entanto, mas sim uma outra Berlim: a da cidade do sexo, das drogas e das intrigas políticas que dominaram entre as duas guerras mundiais. Uma Berlim talvez ainda desconhecida da maioria, mas cuja história é importante para conseguirmos compreender o mundo que temos ainda hoje. Bem-vindos a “Babylon Berlin”.

Nos dias que correm, as super-produções de época são uma constante nas TV, mas geralmente apenas no mundo de mundo de língua inglesa ou, mais concretamente, nos Estados Unidos e Reino Unido. Nos últimos anos, e muito graças à proliferação dos canais de cabo e de streaming, que apostam cada vez mais não só em conteúdos originais mas também em repescar o que de melhor se faz noutros mercados, começamos a ter acesso a produtos de países que raramente chegavam à ribalta, excepto nos inevitáveis remakes americanos. Pelas nossas TVs passaram, assim, “Bron”, “Borgen”, “Gomorra”, “Les Revenants”, “Braquo” e “Ófærð”. Tudo boas produções, sem dúvida, mas sem aquela “espectacularidade” que vemos, muitas vezes, chegar do outro lado do oceano. Bom, quer dizer – até agora.

“Babylon Berlin” é a primeira super-produção europeia a nível da TV. Baseada nos romances policiais de Volker Kutcher, que contam a história do comissário Gereon Roth na cidade de Berlim em plena República de Weimar, a série alemã é produzida numa parceria público-privada entre o canal de cabo Sky1 e o canal estatal ARD, contando com o maior orçamento de sempre no país. 38 milhões de euros, três realizadores famosos, seis meses de rodagem em 300 locais diferentes e 5000 actores e figurantes envolvidos, para recriar um mundo de excessos e uma cidade que transformou a Europa. Todo este aparato e o dinheiro investido torna-se evidente ao longo do episódio-piloto duplo: a boa recriação de época salta desde logo à vista, não só pelos excelentes figurinos, como também pelos cenários (tendo sido reconstruídas, em estúdio, algumas ruas da Berlim dos anos 20); a banda sonora, com a ajuda de Bryan Ferry (sim, esse mesmo), é altamente contagiante, e a direcção dos três realizadores de serviço, Tom Tykwer (“Lola rennt”, “Sense8”), Hendrik HandloegtenAchim von Borries (“Goodbye Lenin”), que escrevem e filmam em conjunto em todos os episódios, consegue prender-nos desde o primeiro momento. Mas será tudo isto suficiente? Serão os artifícios técnicos capazes de suportar uma história?

Geralmente não – o que não falta por aí são orçamentos milionários para séries medianas. Felizmente “Babylon Berlin” não parece ser um desses casos. Nesta série, os grandes valores de produção estão aliados a uma história que, para já, parece bastante interessante. Nestes dois primeiros episódios ficamos a conhecer o comissário Gereon Rath, recém-chegado a Berlim para, supostamente, trabalhar na Brigada de Costumes, mas que, pela calada, tem uma missão secreta para ajudar aquela que será, no futuro, uma das personalidades mais importantes da política alemã e europeia. O seu caminho cruza-se, nos corredores da polícia, com a jovem Charlotte Ritter, secretária de aluguer durante o dia, e menina dos clubes durante a noite, que trabalha afincadamente para ajudar a família. E, lá longe, um comboio de mercadorias está a caminho vindo de terras soviéticas, com uma carga misteriosa e pela qual se pode, até, matar. São três as histórias principais aqui apresentadas, que prometem interligar-se ao longo da temporada. Mas não nos ficamos por isso. Pelo caminho, ficamos também a conhecer um pouco melhor deste tempo suspenso na história, entre uma primeira guerra de trincheiras que deixou muitos soldados destruídos física e psicologicamente, e uma segunda guerra de exterminação de tudo o que não se adequasse ao molde. As sequelas da primeira guerra são já evidentes, as causas da segunda começam aqui a delinear-se e prometem deixar-nos em suspense pelo que vai acontecer.

Com uma história interessante, uma reconstrução de época excelente, uma banda sonora contagiante e personagens cativantes, especialmente a jovem Charlotte, “Babylon Berlin” é uma série que vale a pena descobrir. A primeira temporada de oito episódios já se encontra disponível, e a segunda temporada já está encomendada, por isso nada de desculpas.

3 thoughts on “Pilot Season: Babylon Berlin (Sky1/ARD)”

  1. “A primeira temporada de oito episódios já se encontra disponível, e a segunda temporada já está encomendada, por isso nada de desculpas.”

    Uma correcção.
    A segunda já está em exibição e começou logo que terminou a primeira temporada. Estão a ser emitidas 2 temporadas de 8 episódios cada. 16 episódios no total.
    2 novos episódios emitidos às 19H15 de sexta-feira (17 de novembro) na Sky 1 (Alemanha). Esta semana episódios 3 e 4 da 2ª temporada.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s