Agents of S.H.I.E.L.D.: 5x01x02 – Orientation (ABC)

O texto que se segue CONTÉM SPOILERS

“Welcome to the end of the world.” Bem vindos ao novo mundo de “Agents of S.H.I.E.L.D.”. A série que, temporada após temporada, se vai superando, e que, temporada após temporada, está à beira do cancelamento, tem em “Orientation” mais uma oportunidade para mostrar aquilo de que vale, agora ao dia mais complicado da semana. E se for mesmo para a despedida, uma coisa é certa: apostamos que vai sair em grande.

Este episódio duplo acaba por servir como uma nova plataforma de lançamento para a série e para as suas personagens, transportando-as para muito longe de tudo aquilo que conhecem e dando oportunidade a quem chega agora de encontrar-se na história, sem ser necessário conhecer tudo o que ficou para trás. Para isso, e para não sobrecarregar o espectador desde o início, apostou-se em introduzir estas personagens uma a uma. Coulson é, naturalmente o primeiro que vemos a chegar a esta nova realidade no espaço, onde os humanos são perseguidos por criaturas assustadoras que parecem os Brood, mas que infelizmente não são os Brood.

Desapontamentos geek à parte, o episódio inicial foi fantástico, conseguindo cativar-nos com um ambiente sombrio à la “Alien”, mas sempre sem perder o humor que tem sido tão característico da série. Cena após cena, vemos surgir as personagens (que, curiosamente, foram transportadas uma a uma para o espaço por um monólito especial), vemos a sua reunião com o grupo, e vemos como vão tentando descobrir o que se passa de forma mais ou menos mágica / científica. O ambiente é escuro, a desorientação reina, as pessoas que podiam ajudar a explicar o que aconteceu vão morrendo sem o conseguirem fazer, e o grupo (sem Fitz, que ficou para trás), vê-se obrigado a vaguear pelos corredores, bem juntinho, em busca de uma explicação. Para contrabalançar esta desorientação, vamos recebendo algumas dicas de que algo está mal explicado, de que isto não é só uma estação espacial, de que a distância para a Terra poderá não ser a esperada. E, no final do episódio, chega a grande revelação: Coulson e a equipa não foram simplesmente transportados para uma estação espacial governada pelos Kree e infestada por criaturas ameaçadoras; foram transportados para uma estação espacial governada pelos Kree e infestada por criaturas ameaçadoras… no futuro. Um futuro em que um cataclismo tornou a Terra inabitável e os únicos humanos sobreviventes estão à mercê dos extraterrestres azuis.

Não se pode dizer que a revelação de que estão no futuro fosse uma grande surpresa, porque nos foram dando diversas dicas ao longo do episódio que isso indicavam, mas ainda assim, a cena em que May e Jemma vêem a Terra destruída, foi muito boa. Nem que fosse só pelo facto de vermos a sempre intrépida May a pegar numa nave extraterrestre e a controlá-la logo sem problemas, ou de ver a sempre prática Jemma a resolver o problema da nave ao bom modo de “The IT Crowd”.

Depois da grande revelação, resta saber como aconteceu este cataclismo que forçou os humanos à servidão dos Kree no segundo (e mais fraco) episódio. E se ficámos com uma réstia de esperança que o nome Thanos viesse a surgir na série (ou não estivesse já por aí o trailer da primeira parte de “Infinity War”), uma viagem à versão futurista da Framework, gerida pela nova adição ao elenco, Zeke, que dá aos humanos uma espécie de local para descansar das agruras da vida na estação. Parece que afinal não foi o Thanos, nem os Avengers, nem sequer os Guardians of the Galaxy: foi Quake que causou a destruição da Terra. Hum… não sei, mas isto parece-me uma história mal contada – afinal, será Quake assim tão poderosa? Algo que iremos, certamente, descobrir ao longo da temporada.

Até lá, vamos vendo como vivem os habitantes da estação: os humanos, em condições miseráveis, forçados mesmo a sobreviver numa espécie de versão barata de “The Hunger Games” (a parte mais fraca do episódio, sem dúvida), e os Kree, que como Jemma descobre, vivem numa espécie de spa espacial, governados pelo curioso Kasius. Mas atenção, quando digo curioso Kasius, não é porque tenha ficado curiosa para ver mais sobre a personagem (que não fiquei), mas sim porque é muito, mas mesmo muito, estranho. E nem é só pela caracterização da personagem, mas sim porque a sua atitude perante Jemma foi mesmo muito estranha. Pobre Jemma, que suscitou a atenção de Kasius e se tornou sua serva. Haverá temporada em que esta personagem tenha descanso e não seja sempre a sacrificada? Enfim… E o pobre do Fitz, o que terá acontecido? Como terá reagido ao desaparecimento dos amigos? E como raio terá conseguido fazer com que o seu postal tivesse sobrevivido ao cataclismo? Muitas dúvidas em aberto para responder… e esperemos que brevemente.

Antes da despedida, algumas notas finais:

  • Começar a temporada com uma cena absolutamente fantástica só pode ser um bom prenúncio, certo? Inicialmente estranha, a cena em que acompanhamos o careca no seu dia, desde a piscina até à revelação de que é um extraterrestre com um fato de humano (!!!!) e que foi ele o responsável por enviar Coulson e a equipa para o espaço futuro (!!!!) foi genial. E levanta muitas questões: quem é o alien? Será amigo ou inimigo? Porque é que fez isto à equipa?! Tantas, mas tantas questões que queremos ver respondidas!
  • Mais uma vez, o humor esteve muito presente neste episódio, e da melhor forma. Mack continua a ser a grande estrela, com tiradas geniais (“Vocês sabem que é que morre primeiro num filme destes, certo?!”) e com duelos de palavras espetaculares com Coulson. O Mack está cada vez mais a transformar-se na minha personagem favorita.
  • “So wait, S.H.I.E.L.D. doesn’t have a space division called SPEAR or something? Really? I always thought you guys had people hiding on the moon.” Menção à BD e menção à sofrível “Inhumans” na mesma frase. 10 pontos para a YoYo.
  • Levante a mão quem, quando o Zeke entrou em cena, ficou com esperanças (ainda que minúsculas) de que fosse o Star Lord a chegar. Sim, eu sei que “Agents of S.H.I.E.L.D.” é o patinho-feio do MCU, e que as ligações ao universo fílmico são cada vez menos prováveis, mas por um momento, naquela cena, houve mesmo uma réstia de esperança.

Um pensamento em “Agents of S.H.I.E.L.D.: 5x01x02 – Orientation (ABC)”

  1. Aquela cena inicial lembrou-me tanto Breaking Bad… 🙂

    Tenho sempre aquela pequena irritação quando civilizações avançadas para dominar os humanos depois perdem-se em pequenas merdices como as escravidão e são facilmente enganadas por gajos que estão uns furos abaixo no que a noções tecnológicas diz respeito. Mas, tirando isso, gostei desta nova narrativa para Agents. Vamos ver como avança.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.