O Bom, o Mau e o Vilão: Jornalismo de investigação – I Want to Believe

Breves apontamentos e reflexões sobre a actualidade televisiva.

O Bom

A febre de grandes reportagens de qualidade nos canais portugueses

Não há fome que não dê em fartura! Durante anos quem gostava de estar informado queixava-se de que as noticias estavam manietadas pelos poderes, interesses e lobbys. As reportagens de fundo e de investigação eram raras e sensaboronas.

Eis que de repente, no espaço de alguns meses tudo se altera e uma mão cheia (ou mais do que isso) de boas reportagens com verdadeiro jornalismo de investigação (ainda que com alguma aposta no choque) surge para deleite de todos.

Ele foi a reportagem dos incêndios do Verão, seguida da dos interesses instalados e logo a seguir uma outra comovedora sobre algumas das vítimas sobreviventes (e das suas perdas). Ou o caso de BES/Novo Banco. Ou da Raríssimas. Ou das crianças ilegalmente adoptadas.

Todas importantes, todas a colocar o dedo na ferida. Com elas ficamos mais informados, atentos e interventivos. Venham mais e que tenham tempo de maturação para continuarem a ser pertinentes.

The X-Files ou a importância da nostalgia

Esta é a semana da estreia da nova temporada de “The X-Files”. Para mim um dos grandes momentos televisivos do ano. Poderão dizer que já não é relevante, que há muito melhor. Pode ser verdade, mas I want to believe.

 

O Mau

O contraponto: futebol como pretexto noticioso negativo

Em contraponto ao jornalismo televisivo de qualidade, temos o de escândalo, choque e perplexidade com o esbracejar no lodaçal em que se transformaram aquelas reportagens e notícias bombásticas em torno de alegados e-mails, com alegado tráfico de influência e alegada pressão desportiva e alegados subornos, quase todos tendo no centro um clube desportivo.

Não é da minha cor, mas não quero saber. Tudo aquilo é deplorável. Deixem a justiça actuar.

O Vilão

Só liga a televisão quem quer

Falo disto muitas vezes, mas a programação de Natal e de Ano Novo, está num limbo, parecendo não saber aquilo que se quer, nem a que público se direccionar. É penoso acompanhar a emissão de Ano Novo com tanta alegria fingida e votos de que o próximo ano é que vai ser. Então aquele programa com o João Baião…, mas o da Filomena Cautela…

Claro que a televisão tem algo de extremamente democrático: só vê quem quer.

O melhor mesmo, no Natal é desligar a televisão, colocar uma música de fundo e apreciar o momento da família, das conversas de saudade sobre os que já partiram, da alegria das crianças e do prazer do reencontro.

Quanto ao Ano Novo, mais vale esquecer que existe televisão e ir para a rua.

Bom ano e boa ficção televisiva para todos.

5 opiniões sobre “O Bom, o Mau e o Vilão: Jornalismo de investigação – I Want to Believe”

  1. Concordo com tudo, sobretudo na parte do Bom. As grandes reportagens são muito bem vindas, desde que bem fundamentadas.

    Sobre The X-Files, basta dizer que terá sempre um lugar especial na minha lista de séries preferidas, independentemente da qualidade das novas temporadas 😁
    O legado é enorme, as memórias são tantas e tão boas, que espero que tenha finalmente um desfecho satisfatório (depois das últimas declarações do Chris Carter, não me parece é que seja para já…).

    Sobre o Mau, disseste tudo. Cada vez vejo menos futebol, dedico o tempo ao ténis, um desporto ímpar, onde há respeito, onde a competitividade é realmente saudável.

    Vilão: não vi televisão no Natal e passagem de ano 😁 Preferi estar 100% com a família e amigos. Parece que foi mentira, mas a TVI, algures na viragem do milenio, chegou a exibir o concerto de MetallicA com a orquestra sinfônica de São Francisco…

    Gostar

    1. Para já o problema das reportagens assenta no facto de não se saber o impacto na resolução daquilo que narra, 8se é que há essa possibilidade).

      “The X-Files”, já estreou, com um sabor amargo, mas enfim… Vamos ver se Gillian Anderson muda de ideias perante um bom cachet ou se Carter afinal recua no “não há Ficheiros Secretos sem Scully”.

      Para mim o futebol continua a ser o mais interessante. É divertido se for visto acompanhado. E quanto mais fanáticos melhor. Mas são só 90 min (mais alguns minutos).

      Como voto de Ano Novo, está o “no próximo ano Natal de televisão desligada e Ano Novo fora de casa”. Mas vou reparando que estas datas se fazem cada vez mais à volta do smartphone e… da PS4.

      Gostar

      1. Só hoje é que vi a notícia em que Chris Carter fala em não continuar X-Files sem a Gillian, o que para mim faz sentido. É melhor arrancar um spin off e concluir a história com a Scully e o Mulder.
        Na parte do futebol, referia-me a tudo o que gira à volta do jogo, não o jogo em si (esse sim, dá prazer). Programas desportivos, entrevistas e afins, é que desliguei-me quase completamente.
        Se for PS4 (ou ontra consola/PC) com os amigos, ou familia é bom 😀 Boas noites de Natal, fim/início de ano já passei a jogar PES, NBA 2k e Virtua Tennis (outros tempos)…

        Gostar

  2. Ainda não vi a reportagem sobre a IURD, só a da Raríssimas. Muito interessante, pese embora aqueles “tiques” típicos da TVI (o horror! o drama! o escândalo) tornarem-na mais difícil de ver. Mas é bom saber que as televisões estão a apostar em algo novo e meritório.

    Gostar

    1. A questão do horror, drama, escândalo também me incomoda. Parece-me uma tendência global, pois noutros canais de outros países com forte tradição neste formato, tal também acontece. Acredito que se deva a duas questões:
      – primeiro por alguma falta de maturidade e procura de fio condutor
      – a segunda entronca na anterior como continuidade, pois estamos tão habituados a uma narrativa assente em momentos altos que o “horror, drama, escândalo” é a forma mais fácil do ponto de vista narrativo para manter os níveis de atenção do público. Ou seja, é um dispositivo narrativo.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.