Agents of S.H.I.E.L.D.: 5×06 – Fun and Games (ABC)

O texto que se segue CONTÉM SPOILERS

O que fazer quando uma história está a avançar a bom ritmo, mas se nota alguma falta de desenvolvimento das personagens? Bom, um caminho é exactamente aquilo que “Agents of S.H.I.E.L.D.” resolveu fazer neste episódio.

Mais concretamente – reduzir o elenco. Mas não se preocupem, porque não reduziu o elenco que já conhecemos e de quem não nos queremos mesmo despedir. A escolha aqui foi, felizmente, outra – reduzir o elenco convidado da temporada, que pouco ou nenhum impacto tinha tido, para dar lugar aos permanentes de se destacarem. E a verdade é que as mortes de Ben e de Tess não nos fizeram grande mossa. Ao menos a Tess ainda tinha tido algum (pouco) desenvolvimento, mas honestamente, a sua morte (de forma bem macabra), não teve grande impacto. Talvez ainda voltemos a este tópico, especialmente quando o jovem inumano Flint descobrir que Tess morreu ao tentar protegê-lo. Espera-se mais deste miúdo, especialmente se a série tiver orçamento para o desenvolvimento dos seus poderes inhumanos.

Se a despedida das novas personagens não foi muito interessante, o reencontro das nossas favoritas conseguiu compensar. Depois do grandioso “Rewind”, a expectativa para o reencontro de Fitz com os colegas era muito grande. E, desta vez, as nossas expectativas não saíram defraudadas. Depois de um longo (muito longo) sono, Fitz acorda pronto para lutar pelos amigos. E isso implica disfarçar-se de mercenário com dinheiro, à espera de comprar bons combatentes na Fight Club do Kasius. E assim, finalmente, voltamos ao cliffhanger de “A Life Earned”, em que Fitz entra em cena para chamar pedir um combate até à morte para a destruidora de mundos, Daisy.

Como já adivinhávamos nessa altura, Fitz não quer a morte de Daisy, mas sim ganhar tempo até conseguir libertar os colegas e regressar à Terra. Com May fora do baralho, enviada para o que resta da Terra para morrer (numa boa jogada da série), fica a cargo de Fitz enganar tudo e todos e conseguir chegar à fala com Jemma e com Daisy para fugirem das garras de Kasius. Não foi fácil a fuga, de todo, mas graças aos grandes dotes de actor de Fitz, que consegue passar bem a imagem de mercenário perigoso (provavelmente ainda algumas influências do tempo passado na Framework), à coragem de Jemma, que consegue perceber o plano e não hesita em vingar-se de quem a torturou, e à capacidade de luta de Daisy, que consegue derrotar Sinara (também conhecida por “blue bitch”), e o resultado é a feliz reunião dos três amigos. Uma espectacular reunião, que tão cedo não vamos esquecer. Afinal, quem pensaria, há cinco anos, que um dia iríamos ver os dois geeks de serviço a manejar facas com perícia e a disparar armas em pleno salto, terminando em beleza com um pedido de casamento? Que diferença brutal das personagens desde essa altura e até agora, e que diferença brutal na série desde aquele começo tão mediano…

Por falar em pedidos de casamento, qual o vosso favorito? O de Fitz pode ter sido mais sentido, mesmo sem a recipiente o ter ouvido, mas confesso que o da Jemma, mais espontâneo, foi o meu favorito. Esperemos é que que seja desta que os dois tenham algum sossego.

Até lá, e enquanto não sabemos o que vai acontecer, ficam apenas algumas notas finais:

  • “I am a Kree. As I have always been, brother”. O Enoch é genial. Podemos adoptá-lo para a equipa, por favor?
  • Parece que o jovem Flint, que aqui vimos a ser forçado a passar pelo processo de terrigenesis, é bem conhecido das BDs, tendo a sua personagem sido criada em 2014 por Charles Soule e Joe Madureira (ainda se lembram dele?!) nas páginas de um reboot de “Inhumans”. Vamos ver se a série aproveita esta personagem ou se, tal como os colega da série com o mesmo nome, não acaba cancelado…
  • Alguém dê uma ajudinha à May, por favor. Coitada, anda há duas (três?!) temporadas a ser torturada por tudo e por todos. Não bastava terem-na feito chegar ao futuro com um problema na perna, agora ainda a obrigam a lutar contra um telepata e, no final, mandam-na para o que resta da Terra, para ser comida pelos bichos? Já chega, a May está a precisar de um descanso. E de um dia no spa, provavelmente.
  • Flint: “What are tacos?” Mack: “What the hell kind of future is this?!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.