The Kominsky Method (T1): Amizade da velha guarda

O texto que se segue CONTÉM SPOILERS

Numa época em que nenhuma grande estrela de Hollywood escapa às malhas da televisão, com maior ou menor sucesso, “The Kominsky Method” consegue apresentar uma série despretensiosa sobre dois melhores amigos que se ajudam mutuamente em épocas difíceis das suas vidas.

Michael Douglas é Sandy Kominsky, um veterano ator que, depois de uma carreira de sucesso, se dedica agora a ensinar uma nova geração de atores uma escola de teatro financeiramente instável. O seu melhor amigo é Norman, dono de uma das maiores agências de atores, mas que nos últimos anos tem estado em casa a cuidar da mulher doente. Quando o inevitável acontece e a vida de Norman leva uma reviravolta, Sandy vai ter de ajudar o amigo a superar a perda e a procurar uma nova razão para viver.

Embora o target da série (homens de terceira idade que lidam com os desafios propostos pela passagem do tempo) não seja para todos, a amizade entre as duas personagens foi tão bem construída, que não nos importamos de seguir as suas peripécias mais ou menos bem fúteis. Todas as troca entre Sandy e Norman são deliciosas, seja quando se aliam para dizer mal dos mais novos que os rodeiam, seja quando se chateiam e se procuram magoar mutuamente. A amizade entre os dois, que sobrevive a desaires económico e a discussões encaloradas, é o grande fio condutor da história, e o seu verdadeiro trunfo é Alan Arkin que, numa atuação absolutamente brilhante, consegue levar-nos do riso às lágrimas em questões de segundos. Se os problemas de Sandy parecem ser mais superficiais, a luta de Norman para encontrar razão para continuar a viver depois da despedida é aquela que mais nos consegue marcar ao longo dos episódios, não sendo por isso de estranhar que “An Agent Grieves”, com a sua mistura perfeita de drama e de comédia, seja o melhor episódio desta curta primeira temporada.

Não sendo uma primeira abordagem perfeita, e tendo como grande falha as personagens femininas simplesmente dispensáveis, “The Kominsky Method” é uma daquelas raras séries recentes de Chuck Lorre que parece ter encontrado desde logo o seu nicho, e que vale a pena conhecer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.