Crónicas (T3): A (minha) despedida de “The Walking Dead”

O inevitável aconteceu (embora um milagre narrativo pudesse sempre acontecer) e mais uma personagem “querida” da série morreu. Foi a minha despedida da série também. E para que fique claro desde o início, esta minha despedida foi sendo adiada muitas vezes e em nada se relaciona com a morte de alguém.
Continuar a ler “Crónicas (T3): A (minha) despedida de “The Walking Dead””

Crónicas (T3): Don’t judge a book by its cover

“Don’t judge a book by its cover“, diz-se metaforicamente, no Reino Unido e em países anglo-saxónicos, quando se quer frisar que não se deve julgar a qualidade ou o valor de algo baseando-se apenas na sua aparência (por cá, usamos o “as aparências iludem”). E tal como, se optarmos pela abordagem literal da frase ao invés da metafórica, um livro não deve ser avaliado pela sua capa (ou até pelo seu primeiro capítulo) , uma série não deve ser julgada pelo seu primeiro episódio.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Don’t judge a book by its cover”

Crónicas (T3): Televisor traidor

Reparei com alguma surpresa que têm estreado diversas séries baseadas em livros, preparando-se para chegar uma catadupa de novas propostas baseadas em best sellers de maior ou menor reconhecimento público.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Televisor traidor”

Crónicas (T3): Temas antigos, novas ideias

Faz parte do ritual sazonal. Por cada época nova de séries, haverá sempre algumas que obrigatoriamente andarão à volta de temas que já há muito fazem parte do mundo televisivo. O sistema de saúde, o da justiça e o político, são 3 desses pilares. E como muitas vezes as ideias parecem faltar, aqui vão algumas da minha parte. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Temas antigos, novas ideias”

Crónicas (T3): Ainda sou do tempo… em que a RTP2 passou a “Vamp”

Parece estranho, falar nisto hoje em dia num blogue que se auto-intitula como um espaço “onde a televisão é levada a sério”, mas a verdade é que o formato de telenovela teve um impacto profundo em gerações que não são propriamente “velhas”. Com a facilidade de acesso actual a todo o tipo de conteúdos, três décadas parecem longínquas, mas a verdade é que, nessa altura, estávamos tão limitados nesse sentido que parece que foi há mais tempo.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Ainda sou do tempo… em que a RTP2 passou a “Vamp””

Crónicas (T3): Manual de instruções num calvário televisivo

A quantidade de séries de qualidade que estreia semanalmente, impede qualquer ser humano normal de acompanhar tudo aquilo que se vai fazendo. No meu caso procuro acompanhar duas ou três de “fundo” e algumas sitcoms avulso para relaxar.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Manual de instruções num calvário televisivo”