Crónicas (T3): Porquê?

Que o Netflix ia actualizar os preços já não era novidade para mim, e certamente para muita gente, quando a notícia chegou oficialmente através de correio electrónico esta madrugada. Informações chegadas dos EUA há semanas apontavam nesse sentido e não havia razão para que o aumento não se estendesse também ao nosso país.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Porquê?”

Crónicas (T3): Digressões pelo admirável mundo das notícias

Das questões que mais me fascinam na televisão são as notícias e os programas noticiosos. Estes talvez sejam os últimos programas verdadeiramente “televisivos”, no sentido em que continuam a ser território da caixa de televisão.

Continuar a ler “Crónicas (T3): Digressões pelo admirável mundo das notícias”

Crónicas (T3): O primeiro olhar

Se a intenção passasse por abordar a primeiríssima cena de uma qualquer série, haveria certamente um maior número de casos célebres que fizeram por merecer lugar na memória. Séries como “Breaking Bad” e “Lost”, capazes de colocar questões no colo do espectador logo nos primeiros minutos. Ou a magnífica abertura de “Utopia” que a deixa transparecer de imediato como um produto único no panorama televisivo.

A intenção aqui é outra, a de esquartejar, esmiuçar o primeiro fôlego de uma série. Seja a sua duração a de meros segundos ou, caso a mestria do trabalho de câmara assim o dite, a ultrapassar a marca do minuto, por vezes um primeiro plano conta muito sobre a série a que ali se dá origem.

Continuar a ler “Crónicas (T3): O primeiro olhar”

Crónicas (T3): A relatividade de uma (suposta) objectividade

Um dos temas que volta e meia apareciam regularmente nos comentários era a da objectividade que uma pessoa teria que possuir ao escrever uma crítica sobre algo.

Continuar a ler “Crónicas (T3): A relatividade de uma (suposta) objectividade”